sábado, 14 de novembro de 2015

Guia das falácias




O objectivo de um argumento é expor as razões (premissas) que sustentam uma conclusão. Um argumento é falacioso quando parece que as razões apresentadas sustentam a conclusão, mas na realidade não sustentam.
Da mesma maneira que há padrões típicos, largamente usados, de argumentação correta, também há padrões típicos de argumentos falaciosos. A tradição lógica e filosófica procurou fazer um inventário e dar nomes a essas falácias típicas e este guia faz a sua listagem.

  

                                "Guia das falácias de Stephen Downes", in Crítica - ver aqui


Falácias da Dispersão (manobras de diversão)
Falso dilema (falsa dicotomia)
Apelo à ignorância
Derrapagem (bola de neve)
Pergunta complexa
(em vez de razões)
Apelo à força
Apelo à piedade
Apelo a consequências
Apelo a preconceitos
Apelo ao povo
(falhar o alvo)
Ataques pessoais
Apelo à autoridade
Autoridade anónima
Estilo sem substância
Generalização precipitada
Amostra não representativa
Falsa analogia
Indução preguiçosa
Omissão de dados
Falácias com regras gerais
Falácia do acidente
Falácia inversa do acidente
Post hoc
Efeito conjunto
Insignificância
Tomar o efeito pela causa
Causa complexa
Post hoc
Efeito conjunto
Insignificância
Tomar o efeito pela causa
Causa complexa
Petição de princípio
Conclusão irrelevante
Espantalho/ Boneco de Palha
Erros categoriais
Falácia da composição
Falácia da divisão
Non sequitur
Inventar factos
Distorcer factos
Irrefutabilidade
Âmbito limitado
Pouca profundidade
Erros de Definição
Definição demasiado lata
Definição demasiado restrita
Definição pouco clara
Definição circular
Definição contraditória

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...