domingo, 23 de março de 2014

Conflito de deveres



Durante a segunda guerra mundial, os pescadores holandeses transportavam, secretamente, nos seus barcos refugiados judeus para Inglaterra, e os barcos de pesca com refugiados a bordo eram por vezes interceptados por barcos- patrulha nazis.

A escolha de Sofia



Uma mulher polaca, com os seus dois filhos é presa num campo de concentração de Auschwitz. Os nazis colocam-na perante um terrível dilema: um dos filhos pode ser poupado à câmara de gás mas tem de ser ela a escolher. Obrigada, acaba por escolher.

Primavera - Vivaldi





Sugestão musical para o primeiro domingo de primavera


sábado, 15 de março de 2014

quinta-feira, 13 de março de 2014

Medalha de Ouro - III Olimpíada Nacional de Filosofia



Clica na imagem

MEDALHA DE OURO

III Olimpíada Nacional de Filosofia

Maria Beatriz Correia Santos

Agrupamento de Escolas de Ibn Mucana

domingo, 9 de março de 2014

quinta-feira, 6 de março de 2014

Conhecimentos de facto e relação de causalidade





Todos os raciocínios relativos aos factos parecem fundar-se na relação de causa e efeito. Só mediante esta relação podemos ir além do testemunho da nossa memória e dos nossos sentidos. Se perguntássemos a um homem porque acredita ele em alguma questão de facto  que está ausente, por exemplo, que o seu amigo está no campo ou na França, fornecer-nos-ia uma razão e esta razão seria algum outro facto, como uma carta dele recebida ou o conhecimento das suas antigas resoluções e promessas.

Relações de ideias e questões de facto



O quadrilátero tem quatro lados
O Sol vai nascer amanhã
Todos os objetos da razão ou investigação humanas podem naturalmente dividir-se em duas classes, a saber, Relações de Ideias e Questões de Facto. Do primeiro tipo são as ciências da Geometria, Álgebra e Aritmética e, em suma, toda a afirmação que é intuitiva ou demonstrativamente certa.

O empirismo de David Hume


Matisse

Todos admitirão prontamente que existe uma diferença considerável entre as percepções da mente, quando um homem sente a dor de um calor excessivo ou o prazer de um ardor moderado, e quando ele depois traz à memória a sua sensação ou a antecipa mediante a sua imaginação. Estas faculdades podem mimar ou copiar as percepções dos sentidos, mas nunca podem inteiramente atingir a força e a vivacidade do sentimento original.

segunda-feira, 3 de março de 2014

A relação entre o dever e a lei moral


Klee

(…) Dever é a necessidade de uma ação por respeito à lei (…)
Mas que lei pode ser então essa, cuja representação, mesmo sem tomar em consideração o efeito que dela se espera, tem de determinar a vontade para que esta se possa chamar boa, absolutamente e sem restrição?

A intenção de cumprir o dever


Van Gog

Immanuel Kant estava interessado na questão de saber o que é uma ação moral. A resposta que deu tem sido muito importante para a filosofia. (…)
Para Kant era óbvio que uma ação moral teria de ser executada por sentido do dever e não apenas como resultado de uma inclinação, de um sentimento ou da possibilidade de qualquer tipo de benefício para o seu autor.

Ações em conformidade com o dever e ações por dever


Hooper

É na verdade conforme ao dever que o merceeiro não suba os preços ao comprador inexperiente, e, quando o movimento do negócio é grande, o comerciante esperto não faça semelhante coisa, mas mantenha um preço fixo geral para toda a gente, de forma que uma criança pode comprar em sua casa tão bem como qualquer outra pessoa.

domingo, 2 de março de 2014

A Boa Vontade


Van Gogh

A Ética Deontológica de Kant - Síntese aqui
Site Sebenta de Filosofia - Síntese Ética Deontológica de Kant - aqui

Neste mundo e até também fora dele, nada é possível pensar que possa ser considerado como bom sem limitação a não ser uma só coisa: uma Boa Vontade. Discernimento, argúcia de espírito, capacidade de julgar e como quer que possam chamar-se os demais talentos do espírito, ou ainda coragem, decisão, constância de propósito, como qualidades do temperamento, são sem dúvida a muitos respeitos coisas boas a desejáveis; mas também podem tornar-se extremamente más e prejudiciais se a Vontade, que haja de fazer uso destes dons naturais e cuja constituição particular por isso se chama carácter não for Boa.

Como escrever um ensaio filosófico



Como escrever um ensaio filosófico de Artur Polónio  - aqui 
A Estrutura de um Ensaio Filosófico - Crítica - aqui
Como escrever um ensaio filosófico - aqui
O QUE SE FAZ NUM ENSAIO DE FILOSOFIA?
1. Um ensaio de filosofia consiste numa defesa argumentada de uma afirmação.
Os ensaios dos estudantes devem oferecer um argumento. Não podem consistir na mera exposição das suas opiniões, nem na mera apresentação das opiniões dos filósofos discutidos. É preciso que o estudante defenda as afirmações que faz e que ofereça razões para se pensar que são verdadeiras.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...