domingo, 3 de maio de 2015

O problema da definição de arte - teorias


Vermeer, A Leiteira  (1688)

O que é a arte? Três teorias sobre um problema central da estética - Crítica

TEORIA DA ARTE COMO IMITAÇÃO

Esta é uma das mais antigas teorias da arte. Foi, aliás, durante muito tempo aceite pelos próprios artistas como inquestionável. A definição que constitui a sua tese central é a seguinte:

Uma obra é arte se, e só se, é produzida pelo homem e imita algo.

A característica própria desta teoria não reside no facto de defender que uma obra de arte tem de ser produzida pelo homem, o que é comum a outras teorias, mas na ideia de que para ser arte essa obra tem de imitar algo. Daí que seja conhecida como teoria da arte como imitação.


Vários foram os filósofos que se referiram à arte como imitação. Alguns desprezavam-na por isso mesmo, como acontecia com o conhecido filósofo grego Platão que, ao considerar que as obras de arte imitavam os objectos naturais, via essas obras como imagens imperfeitas dos seus originais. Ainda por cima quando, no seu ponto de vista, os próprios objectos naturais eram por sua vez cópias de outros seres mais perfeitos. Já o seu contemporâneo Aristóteles, mantendo embora a ideia de arte como imitação, tinha uma opinião mais favorável à arte, uma vez que os objectos que a arte imita não são, segundo ele, cópias de nada.

(...)
TEORIA DA ARTE COMO EXPRESSÃO
Insatisfeitos com a teoria da arte como imitação (ou representação), muitos filósofos e artistas românticos do século XIX propuseram uma definição de arte que procurava libertar-se das limitações da teoria anterior, ao mesmo tempo que deslocava para o artista, ou criador, a chave da compreensão da arte. Trata-se da teoria da arte como expressão. Teoria que, ainda hoje, uma enorme quantidade de pessoas aceita sem questionar. Segundo a teoria da expressão:

Uma obra é arte se, e só se, exprime sentimentos e emoções do artista. (...)

Munch, O Grito (1893)

 

TEORIA DA ARTE COMO FORMA SIGNIFICANTE


Verificando que a diversidade de obras de arte é bem maior do que as teorias da imitação e da expressão fariam supor, uma teoria mais elaborada, e também mais recente, conhecida como teoria da forma significante (abreviadamente referida como “teoria formalista”), decidiu abandonar a ideia de que existe uma característica que possa ser directamente encontrada em todas as obras de arte. Esta teoria, defendida, entre outros, pelo filósofo Clive Bell, considera que não se deve começar por procurar aquilo que define uma obra de arte na   própria obra, mas sim no sujeito que a aprecia. Isso não significa que não haja uma característica comum a todas as obras de arte, mas que podemos identificá-la apenas por intermédio de um tipo de emoção peculiar, a que chama emoção estética, que elas, e só elas, provocam em nós. Por esta razão a incluo nas teorias essencialistas. De acordo com a teoria formalista de Clive Bell.

Uma obra é arte se, e só se, provoca nas pessoas emoções estéticas.

(...)
                                                                         Aires Almeida 
                                                                        http://criticanarede.com/fil_tresteoriasdaarte.html



TEORIAS
CARACTERÍSTICAS
OBJEÇÕES

Arte como
imitação

A arte é imitação da realidade
A existência de obras de arte que nada imitam

Se a arte é imitação, a melhor seria a mais realista, mas muita arte, embora representativa, não é imitação


Arte como expressão
(Tolstoi)

A arte é a expressão da emoção do artista
A obra de arte transmite intencionalmente o mesmo sentimento que o artista experimentou
A existência de obras de arte que não expressam emoções do artista

A dificuldade em saber se a emoção do artista foi verdadeira e se o que sentimos corresponde ao que o artista nos quis transmitir
A arte como forma significante
(Clive Bell)


É arte toda a obra que possui uma forma significante

Forma significante é a combinação de cores, linhas e formas, capaz de provocar a emoção estética.



Não é consensual que exista uma emoção estética (distinta das outras emoções humanas)

O conceito de forma significante é controverso já que todas as pinturas possuem uma certa combinação de linhas, cores e formas

É controverso o facto desta teoria considerar que apenas a forma é relevante para a obra de arte e não o conteúdo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...