sábado, 5 de janeiro de 2013

Determinismo radical



Algumas pessoas pensam que nunca é possível fazermos qualquer coisa diferente daquilo que, de facto, fazemos neste sentido absoluto. Reconhecem que aquilo que fazemos depende das nossas escolhas, decisões e desejos e que fazemos escolhas diferentes em circunstâncias diferentes: não somos como a terra, que toda no seu eixo com monótona regularidade. Mas afirmam que, em cada caso, as circunstâncias que existem antes de agirmos determinam as nossas ações e tornam-nas inevitáveis.
O total das nossas experiências, desejos e conhecimentos de uma pessoa, a sua constituição hereditária, as circunstâncias sociais e a natureza da escolha com que a pessoa se defronta, em conjunto com outros fatores dos quais pode não ter conhecimento, combinam-se todos para fazerem com que uma ação particular seja inevitável nessas circunstâncias.
                                                                 Thomas Nagel, Que quer dizer tudo isso?


   Determinismo radical - Não temos livre arbítrio e todos os

 acontecimentos estão  determinados.


     Se o determinismo é verdadeiro, não há livre arbítrio
     O determinismo é verdadeiro
     Logo não há livre arbítrio


  • Tudo tem uma causa
  • Se tudo tem uma causa, então não há ações livres
  • Logo não há ações livres

Se não há ações livres, não podemos ser responsabilizados pelas nossas ações


        OBJEÇÕES:


A experiência do live arbítrio é forte. O livre arbítrio faz parte do processo de agir. Não podemos agir sem o sentimento de que somos livre

Se não há ações livres, não podemos ser responsabilizados pelas nossas ações

Não é possível viver em sociedade sem a ideia de responsabilidade

Segundo o determinismo radical os juízos morais perdem qualquer fundamento

1 comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...