domingo, 3 de abril de 2016

A conceção indutivista do método científico

The Return - Rene Magritte 
  Magritte


 Segundo a perspetiva indutivista do método científico, a ciência começa com a observação e  as inferências indutivas  permitem progredir dos enunciados singulares aos enunciados gerais,  leis e teorias científicas. 

Perspetiva indutivista

A perspetiva indutivista clássica está associada ao método experimental (como foi entendido na revolução científica).

A ciência procura estabelecer teorias e leis universais que permitam fazer previsões rigorosas a partir de um número elevado de observações particulares e de experiências realizadas.

As generalizações e previsões são raciocínios indutivos

Para os indutivistas, o há ciência sem indução. O método experimental começa com a observação, partindo de factos, e a hipótese é confirmada pela experiência. 


Para os indutivistas a dedução é meramente demonstrativa, concluindo o que já está implícito nas premissas não permitindo ampliar o conhecimento.


Para os indutivistas a indução encontra-se em dois momentos do método experimental – no processo de descoberta e no de justificação das teorias.



Aspetos fundamentais da  perspetiva indutivista do método científico
A ciência começa com a observação
A inferência indutiva, pelo seu caráter ampliativo, é a única inferência capaz de produzir conhecimento do mundo.


O papel da indução no método científico
DESCOBERTA
Observação dos factos e formulação das hipóteses
JUSTIFICAÇÃO
Confirmação das hipóteses por meio da experimentação e estabelecimento de leis gerais.











Método científico segundo a perspetiva  indutivista      

OBSERVAÇÃO

Observação de factos de forma rigorosa e imparcial
 Registo e classificação de factos empíricos


FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES

Obtenção da teoria por generalização indutiva: a partir de enunciados singulares são inferidos enunciados gerais (leis ou teorias)

A generalização indutiva tem de satisfazer condições:

·         O número de observações/ enunciados singulares deve ser grande
·         As observações devem-se repetir em múltiplas circunstâncias
·         Nenhum enunciado singular deve entrar em contradição com a lei derivada


VERIFICAÇÃO EXPERIMENTAL


  •        Extração de conclusões dos ensaios experimentais que permitem considerar se uma teoria foi provada
  •       Critério da verificabilidade

                       (papel da indução na justificação das teorias)

Os cientistas não questionam as suas hipóteses ou teorias, mas pelo contrário procuram prová-las.






Objeções ao método indutivista
Algumas teorias científicas referem-se a aspetos inobserváveis
Em muitos casos as teorias não podem ser induzidas a partir de observações
Popper
A observação não é o ponto de partida para a investigação científica

A observação não é imparcial
Não há observação pura - o cientista já observa com expectativas e teorias

O ponto de partida da investigação não é a observação, mas problema que surge do confronto entre a observação e as expectativas ou teorias que se tem

Não é possível verificar ou confirmar uma hipótese

As inferências indutivas são racionalmente injustificáveis – problema da indução

Não são dedutivamente demonstradas
Não podemos recorrer à indução para justificar a indução

A indução não desempenha qualquer papel na justificação das teorias científicas - a justificação das teorias científicas depende de procedimentos dedutivos

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...