sábado, 21 de Abril de 2012

Como procede o cientista para conhecer a realidade?






“O salmão prateado nasce nas correntes frias do noroeste do Oceano Pacífico. O pequeno peixe nada até ao Pacífico Sul, onde poderá passar até cinco anos para atingir a maturidade física e sexual. Em seguida, em resposta a algum estímulo desconhecido, volta às correntes frias para desovar. Acompanhando o roteiro do peixe, descobre-se um facto curioso. Ele volta, quase sempre, precisamente ao seu local de origem. Eis aqui um facto-problema que pede explicação. Como é possível que o peixe identifique exactamente o lugar onde nasceu, depois de tantos anos e de percorrer tão longa distância?
                Uma das hipóteses sugeridas para explicar o retorno foi a de que o salmão descobre o caminho de hipotético dedutivo volta reconhecendo objectos que identificou durante a primeira viagem. Se esta hipótese estivesse correcta, então, vendando os olhos do salmão, ele não conseguiria voltar. Daí temos:
                H1: o salmão utiliza apenas os estímulos visuais para encontrar o seu caminho de volta.
                Consequência preditiva: o salmão x, com os olhos vendados, não será capaz de voltar.
                Suponha-se que o salmão x, com os olhos vendados, encontre o seu caminho de volta. O resultado dessa experiência falseia a hipótese. Por outro lado, suponha-se que o peixe com os olhos vendados não encontre o caminho de volta. Este resultado seria capaz de verificar, assegurar a verdade da hipótese do estímulo visual? Não. Apenas podemos afirmar que o resultado experimental apoiou a hipótese.(...)
                As experiências realizadas para testar a predição da hipótese acima revelaram que todos os salmões com os olhos vendados conseguiram voltar ao seu lugar de origem, o que desconfirma a hipótese.
                Nova hipótese foi apresentada para explicar o fenómeno. Desta vez pelo Dr. Hasler da Universidade de Wisconsin, EUA, que formulou a hipótese de que o salmão conseguiu voltar ao seu lugar de origem identificando o caminho pelo olfacto. Se a hipótese fosse verdadeira, bloqueado o olfacto do salmão, ele seria incapaz de identificar o caminho de volta. Daí segue-se:
                H2: o salmão identifica o caminho pelo olfacto.
                Predição: bloqueado o olfacto, o peixe não será capaz de identificar o caminho.
                Para efectuar o teste da hipótese, o Dr. Hasler realizou experiências com salmões que haviam tido o olfacto bloqueado. Os peixes não conseguiram voltar. Esse resultado confirmou a hipótese.”
                                           Leónidas,  H. Iniciação à lógica e à metodologia das ciências


1- Qual o método usado pelo investigador?
2- Qual o problema com  que o investigador se confrontou?
3- Formule a hipótese que o investigador sugeriu.
4- Que consequências preditivas se inferiram da hipótese?
5- Como submeter as consequências a verificação/experimentação, a fim de confirmar ou refutar a hipótese?
5- Quais os momentos fundamentais deste método?

2 comentários:

  1. O método utilizado pelo investigador designa-se por método hipotético-dedutivo. Consiste na formulação de uma hipótese, na dedução das consequências preditivas desta hipótese, na submissão destas consequências a provas experimentais e, por fim, na generalização.
    O investigador parte de um fenómeno a explicar para a formulação de uma hipótese. Neste método, não há observações neutras, pois uma observação neutra a partir do zero, não existe. O cientista observa com base em conjecturas que faz. Uma das características da hipótese é poder ser refutada ou verificada. Num segundo passo, compara-se a hipótese com realidades já admitidas e deduz-se uma consequência da hipótese.
    Depois, sujeita-se a hipótese a uma experiência e, de seguida, tiram¬-se conclusões. Ou seja, se se negar a hipótese, formula-se uma nova hipótese, coisa que se verificou neste caso. Mas se se confirmar, a hipótese passa a lei universal.
    Neste caso, o investigador deparou-se com a seguinte situação: o salmão prateado após nascer no noroeste do Oceano Pacífico viaja até ao Pacífico Sul até aos 5 anos. Com essa idade, em resposta a algum estímulo desconhecido, volta às correntes frias, mais precisamente ao seu local de origem, para desovar. Por isso, impôs-se o este problema: como é possível que o salmão volte exactamente ao seu local de origem depois de passarem alguns anos e depois te tanta distância ter percorrido?
    Uma das hipóteses surgidas para este problema foi a de o salmão utilizar apenas os estímulos visuais para encontrar o seu caminho de volta. Assim, o salmão x, com os olhos vendados, não seria capaz de voltar. Por isso, realizaram-se experiências para testar a hipótese e revelaram que todos os salmões com os olhos vendados conseguiram voltar ao seu lugar de origem, refutando a hipótese.
    No entanto, surgiu uma nova hipótese apresentada por Dr. Hasler da Universidade de Wisconsin que defendia que os salmões regressavam ao seu local de origem devido ao olfacto. Desta nova hipótese, surgiu uma nova predição: bloqueado o olfacto, o peixe não será capaz de identificar o caminho.
    De forma a apoiá-la ou refutá-la, foram realizaram experiências com salmões que tiveram o olfacto bloqueado. Como tal, o resultado desta experiência veio confirmar a hipótese.
    Apareceram, assim, todas as etapas/momentos cruciais e fundamentais do método hipotético-dedutivo, como a formulação da hipótese, a dedução de consequências preditivas, a submissão destas consequências a experiências e, por fim, formação de uma nova hipótese ou a generalização.
    Marisa, 11ºB

    ResponderEliminar
  2. O método utilizado é o método hipotético-dedutivo que consiste na construção de hipóteses que devem ser submetidas a testes para verificar quais são as hipóteses que persistem como válidas.
    O problema que o investigador verificou foi que os salmões conseguiram regressar ao seu habitat de origem após anos sem la irem e também após terem percorrido enormes distâncias, como se verifica na passagem ”O salmão prateado nasce nas correntes frias do noroeste do Oceano Pacífico. O pequeno peixe nada até ao Pacífico Sul, onde poderá passar até cinco anos para atingir a maturidade física e sexual. Em seguida, em resposta a algum estímulo desconhecido, volta às correntes frias para desovar. Acompanhando o roteiro do peixe, descobre-se um facto curioso. Ele volta, quase sempre, precisamente ao seu local de origem.”
    Para este problema foram sugeridas duas hipóteses, uma após outra de dois diferentes autores:
    Primeira hipótese- O salmão usa apenas os estímulos visuais para voltar ao seu antigo habitat, mas com os olhos vendados este já não consegue descodificar o caminho sendo que o resultado da experiência falseia a hipótese do autor.
    Segunda hipótese- O peixe identifica o caminho pelo olfato onde houve também uma contradição: Bloqueando-lhe o olfato este não conseguia identificar o caminho, sendo também este resultado da experiência um refutador da hipótese.
    --
    MAlmeida

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...