segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

A relação valorativa


Magritte
Avaliar é exatamente estabelecer diferenças entre umas coisas e outras, preferir isto àquilo e escolher o que tem de ser conservado porque tem mais interesse que o resto. O trabalho de avaliar é tarefa humana por excelência e a base de qualquer cultura humana. Na natureza reina a indiferença, na cultura, a diferenciação e os valores. Sendo assim, devemos perguntar-nos que critérios de avaliação podemos ter para fundamentar as nossas supostas obrigações relativamente aos elementos naturais, deixando claro à partida que sejam quais forem esses critérios, serão culturais e nunca propriamente naturais.

Na minha opinião esses critérios poderão ser de três espécies: uns servem para descobrir o valor [intrínseco] de certas coisas naturais (ou de todas!), outros preocupam-se com a utilidade dos elementos naturais e por fim os estéticos, que se basearão na beleza natural.



                                                                      Fernando Savater, As perguntas da vida


AXIOLOGIA
ou filosofia dos valores
Área da filosofia que estuda os valores em geral, o significado e características dos juízos de valor

Relação valorativa
(relação marcada por valores, onde se atribui valor, se manifesta preferência por objetos, situações, pessoas…)

VALOR – conceito ou propriedade/ critério,  segundo o qual avaliamos ou valoramos

Tipos de valores:
Valores éticos
Valores estéticos
Valores religiosos
VALOR INTRÍNSECO – Algo que tem valor em si mesmo, pelas suas qualidades próprias
VALOR INSTRUMENTAL – Algo tem valor instrumental se é valorizado enquanto instrumento ou meio para alcançar uma finalidade que tem valor em si mesma
                                                                   (adaptação Razões de Ser)

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...